Credenciais:




Notícias   >   7ª Marcha pela Vida pede agilidade na aprovação do Estatuto do Nascituro

19/11/2014 10:01

A 7ª edição da Marcha Nacional da Cidadania pela Vida reuniu mais de 5 mil participantes, na terça-feira, 4, em Brasília (DF). O evento contou com o apoio de diversas entidades civis e religiosas, entre elas a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Federação Espírita Brasileira (FEB) e Fórum Nacional de Ação Social e Política (Fenasp). Trata-se de uma iniciativa da sociedade civil com a finalidade lutar contra a legalização do aborto no Brasil.
Com cartazes, faixas e bandeirinhas nas mãos, uma multidão marchou pedindo agilidade das autoridades na aprovação do Estatuto do Nascituro (PL 478/2007). Famílias, jovens e crianças participaram da Marcha que teve início na Torre de TV, no Eixo Monumental, e passou em frente da rodoviária, museu nacional, catedral metropolitana, ministérios, com concentração final no gramado da Câmara e Senado Federal.
O assessor nacional da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, padre Rafael Fornasier, participou da 7ª Marcha. Segundo o presbítero, o Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto apoia o Projeto de Lei 748, pela garantia dos direitos do nascituro.
“A Marcha vem conscientizando toda a população a não aceitar o aborto como uma solução para certos problemas da vida familiar e da vida da mulher. Queremos juntos mostrar que há outros caminhos para ajudar aquelas pessoas que estão em situações difíceis, como a de uma gravidez não desejada; e assim evitar o aborto que nunca é uma solução”, pontua padre Rafael.
Os esforços do Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto visam impedir a aprovação do projeto de lei nº 236/2012, que tramita no Senado Federal, e que propõe a legalização do aborto até a 12ª Semana de Gestação e reforma do Código Penal, em defesa da vida desde a concepção.

Por CNBB

Fonte: Diocese de Uruacu